The Web Poetry Corner
DreamMachineThe Web Poetry Corner is a Dream Machine Site
The Dream Machine --- The Imagination of the World Wide Web
Google

The Web Poetry Corner

Tom Wood

of

Toronto, ON, CA

Home Authors Alphabetically Authors Date Submitted Authors Country Submission Rules Feedback



If you have comments or suggestions for Tom Wood, you can contact this author at:
muskies@netrover.com (Tom Wood)


Find a book store near you, no matter where you are located in the U.S.A.!


Cerzan

...the best independent ISP in the Twin Cities

Gypsy's Photo Gallery


The Temple

by

Tom Wood

I will build a temple

And a superb temple it will be

Not with sweat and brawn

With the loving laborers of my mind

Not of mortar and brick

Of trees and flowers

Not of glass and marble

Of birds and animals

Not of cloth and wood

Of mountains high and lush green valleys

Not of nails and paint

Of a gently flowing stream

Not of icons or rituals

Of peace and tranquillity

Not of cold linoleum and pictures

Of softly blowing warm spring breezes

Not of fear and guilt

Of sunrises most spectacular

Not of gold and incense

Of love, trust and yearning

I will build a temple, to stand the rigors of time

I will build a temple, that will be Yours and mine

I will build a temple, where You and I can Be

I will build a temple for eternity


THE WHITE RIBBON

by

Tom Wood


With trembling fingers

I affix to my lapel

A symbol

A piece of cloth and a pin

A WHITE RIBBON

It is with renewed hope that I join with others of my gender

With a fervent desire, to build a lasting timeless bridge

To promote love, understanding, compassion, and respect between the sexes in the following ways;

To honor you as a woman

To honor and respect our differences

To pray you will enjoy equity in your life

To pray you will enjoy a life free from discrimination

To pray you will never endure any form of harassment

To pray you will never experience any form of physical abuse

To pray you will never experience any form of mental abuse

To pray you will never experience any form of sexual abuse

To commit to you as a male to wear my White Ribbon with pride

To commit to you, not forget

To commit to you to promote the true essence of the WHITE RIBBON daily

I honor you this day and everyday, as a woman, as a human being.

This poem is dedicated to the Fourteen innocent Women who lost their lives in the senseless Montreal Massacre of December 06,1989.

It is also for my beautiful daughter Trista. For all of the women whom I have known and will get to know as I journey through this life. Lastly for a very special woman who is very dear to me, who tirelessly promotes Women's rights, and issues of equity.


WHISPERS FROM A CONVERSATION

by

Tom Wood

WHISPERS FROM A CONVERSATION

>From a rendezvous a short while ago

A dream was shared

>From the depths of the heart

The noblest of thoughts, enshrined in love

A yearning

A fervent hope

A dream was shared

A maternalistic dream

Filled with rays joy

Filled with the purest of love

Filled with precious awe

A question was asked of I

An answer at the time was given

More thought and deep reflection

A searching of times past and missed opportunities

An answer have I

But you must ask the question, but once again

For I will not intrude upon your dream

But respect and honor it


LONGING

by

Tom Wood



Yearning to feel you pressed tightly against me

Molded to my body, as if made by an artisans hand

You're warm breath cascading upon my neck

My inhaling of your intoxicating scent

Kissing your lips gently

Kissing your closed eyes

Kissing your lips softly

Tracing the contour of your lips with my tongue

Kissing you passionately

The intertwining of greedy tongues

Exploring, the way lovers do

Clothing discarded with wanton abandon

Caressing, and feeling the contours and diverse textures of your womanly body

Temperatures rising like a sweltering summer's day

Beads of moisture glistening upon your delicate skin like mother of pearl

Passion enflamed, as if by a blacksmiths bellows

Sounds of lovers, muted and soft, as only they can know

The passionate and sweetest of and endearments

Tenderness overflowing from a heart filled with love

The tempo rising like an orchestra gone mad

Pulsing urgency

Heart racing like a galloping stallion

Ecstasy, the flood of release like a raging torrent from a mountain stream

Cuddling and caressing, gently as lovers do

Stretched side by side

Bonding with the mortar of love

The sweet afterglow, like a waning campfire on a summers eve

Arms intertwined like Ivy on a wall

Drifting, swaying gently to sleep


DEMONS

by

Tom Wood



The glow of the day wanes in the west

And the Demons of the night invade my chest

They cannot be laid to rest

Although I have tried my best

Their alive in my chest

I long for the day to make the demons go away

But they persist and stay

Pain and sorrow

Must you stay until tomorrow

I long for the day to keep the Demons at bay

I long for the day

At best the light of day

They are at bay

Will they stay

No one can say

I can only hope and pray

May/95


OLD WOMAN'S BAY

by

Tom Wood



Craggy cliff sheer and tall, perched on the shores of the mighty Superior

Magnificent and stately, you dominate the landscape

Timeless with your ancient wisened granite face

Mellowed with the fading sunset

Turbulent frothing waves crashing at your feet, in an ancient timeless rhythm

Dominating the landscape

Nature in its primal state, but peace, harmony, and serenity abound

Spellbound I stare

Awakening I am in this spiritual landscape

Feelings flood over me, like the waves dancing at your feet

Dominating the landscape

My being tingles in this magical kingdom

I think of her ---- so far away

And I am overwhelmed

Dominating the landscape

I come to realize

I come to know, my senses alive, to feel, experience and embrace

Love, so true, so deep, complete and encompassing, for her

At your feet

Dominating the landscape


~ CAN WE ~

by

Tom Wood


The abyss is so wide

The gorge so jagged and deep

The river between us is raging

Can we build a bridge to the haven on the other side

Can we extend a lifeline

Can we, Can we..

Extend a hand of trust and faith

Extend a hand of caring

Extend a hand of sharing

Extend an olive branch of love

Let us

Can we, Can we

28-02-00


~ THE ROSES~

by

Tom Wood


Long and slender

Buds tightly entwined, like lovers hands

Cloaked in baby’s breath

A mallow colour of mauve

Magnificent in their simplicity

The Queen of flowers

Traversing the void of thought and space

Reaching out deftly, delicately, tenderly

The communicator of messages

Nuances of the subtlest nature

What messages do they bear?

How shall this play out?

From the Queen of flowers


~ THE CARD ~

by

Tom Wood


Out of the blue it was from you

Thoughtfully chosen

With an eye to detail

Message crafted with care

Alas it has but brought despair

But I know that you do care


~ THE LETTER ~

by

Tom Wood


Seven pages, not much you say

A lifetime to be sure

Written with care

Pen and ink

The finest of paper

Embossed with flowers

Messengers of the gentlest and sweetest nature

The Victorian way

Thoughts, oh so many bountiful thoughts

A dizzying array

A tender, sweet journey

Fraught with emotion

Steeped in love

Eloquently composed

Written and re-written

With heart felt sentiment

No pointing fingers

No remorse

Silent peace

Contentment in knowing

That which you cannot say

Yet

But another letter

Hope springs eternal

The glass is half full

Ah yes, to be sure

Rome was not built, in but one day

But upon us is the dawn of another day


~ CROSSING PATHS ~

by

Tom Wood


We have collided once again, like two asteroids in the galactic heavens

But why?

What is the purpose, after this prolonged absence?

Was it predestined, who is to know?

It is almost like we were never apart

We picked up, right at the start

We have grown while apart

What are the lessons to be learned this time around?

Is there an invisible thread weaving through the vastness of time and space?

Something unseen, but deeply adhered to

A ghostly bond, like a wispy early morning fog

How can I help you, what can it be?

Can you help me, what must it be?

What does the Creator have in store for you and I?

Where from here, and why?

CROSSING PATHS, again

But why?


~ CAMINHOS CRUZADOS ~

by

Tom Wood

DreamMachineThis poem was translated by Carlos Wood
The Dream Machine --- The Imagination of the World Wide Web


Google
Nós colidimos uma vez mais, como dois asteróides nos céus galácticos

Mas por que?

Qual é o propósito, depois desta ausência prolongada?

Foi predestinado, quem esta sabendo?

É quase como nós nunca fôssemos separados

Nos conhecemos, bem no começo

Nós crescemos separados

Quais as lições a serem aprendidas neste tempo a girar?

Há uma linha invisível tramada na imensidão do tempo e do espaço?

Algo não visto, mas profundamente aderido

Um laço fantasmagórico, como uma delgada névoa no começo da manhã,

Como eu posso ajudá-la, o que pode ser isto?

Você pode me ajudar, o que deve ser isto?

O que tem o Criador guardado para mim e prá você?

Onde, e por que?

CAMINHOS CRUZADOS, novamente

Mas por que?


~ A CARTA ~

by

Tom Wood

DreamMachineThis poem was translated by Carlos Wood
The Dream Machine --- The Imagination of the World Wide Web


Google
Sete páginas, não diz muito de você,

Toda vida está segura

Escrita com cuidado

Caneta e tinta

O mais fino papel

Ornada com flores

Mensageiras suaves e doces da natureza

A maneira vitoriana

Pensamentos, oh tantos pensamentos generosos

Uma atordoante forma

Uma delicada, uma doce viagem,

Carregada de emoção

Embebida de amor

Eloqüentemente composta

Escrita e re-escrita

Com o coração sentimental

Nenhum dedo acusador

Nenhum remorso

Paz silenciosa

Sabida Satisfação

Aquela que você não pode dizer

Ainda

Mas outra carta

Eterna fonte de esperança

O copo está meio cheio

Ah sim, esta seguro

Roma não foi construída, em um dia

Mas em nós está o início de outro dia


~ O CARTÃO ~

by

Tom Wood

DreamMachineThis poem was translated by Carlos Wood
The Dream Machine --- The Imagination of the World Wide Web


Google
Inesperadamente era seu

Pensadamente escolhido

Com um olhar de detalhes

Mensagem contruida com cuidado

Ai está, mas trouxe desespero

Mas eu sei que preocupou-se


~ AS ROSAS ~

by

Tom Wood

DreamMachineThis poem was translated by Carlos Wood
The Dream Machine --- The Imagination of the World Wide Web


Google
Longo e esbelto

Botões firmemente entrelaçados, como mãos de amantes

Mascarado numa respiração infantil

Uma malva cor de malva

Magnífica na simplicidade

A Rainha de flores

Atravessando o espaço sem pensar

Alcançando definitivamente, delicadamente, ternamente

Comunicando a mensagens

Nuâncias sutís da natureza

Que mensagens conduzem?

Como isto terminará?

Da Rainha das flores


Nós Podemos?

by

Tom Wood

DreamMachineThis poem was translated by Carlos Wood
The Dream Machine --- The Imagination of the World Wide Web


Google
O abismo é tão largo

O desfiladeiro tão denteado e profundo

O rio entre nós está enfurecendo

Possa nós construímos uma ponte ao porto na outra margem

Possa nós estendermos a linha de vida

Possamos nós, Possamos nós..

Estender uma mão de confiança e fé

Estender uma mão atenciosa

Estender uma mão a compartilhar

Estenda um ramo da oliveira do amor

Deixe-nos

Possamos nós, Possamos nós

28-02-00


A BAÍA DA MULHER VELHA

by

Tom Wood

DreamMachineThis poem was translated by Carlos Wood
The Dream Machine --- The Imagination of the World Wide Web


Google
Precipício escarpado e alto, empoleirado nas costas do Superior

Magnífico e imponente, você domina a paisagem

Infinito com sua face rugosa de granito antiga

Desvanecido com o pôr-do-sol

Ondas espumando turbulentas chocam-se a seus pés, em um ritmo antigo e infinito,

Dominando a paisagem

Natureza em seu estado primitivo, porém paz, harmonia, e serenidade abundam

Encantado eu fito

Despertando estou nesta paisagem espiritual

Sentimentos fluem sobre mim, como as ondas que dançam a seus pés,

Dominando a paisagem

Meu ser lateja neste reino mágico

Eu penso nela----tão longe

E sou subjugado

Dominando a paisagem

Eu venho perceber

Eu venho saber, meus sensos vivem, para sentir, experiência e abraço

Amor, tão verdadeiro, tão profundo, completo e cercado, por ela,

A seus pés

Dominando a paisagem


DEMÔNIOS

by

Tom Wood

DreamMachineThis poem was translated by Carlos Wood
The Dream Machine --- The Imagination of the World Wide Web


Google
O brilho do dia mingua no oeste

E os Demônios da noite invadem meu peito

Eles não podem ser postos a descansar

Embora tenha o melhor

Estão vivos em meu peito

Eu almejo o dia para fazê-los ir

Mas eles persistem e ficam

Dor e tristeza

Fique até amanhã

Eu almejo o dia para fazê-los ir

Eu almejo o dia

A melhor luz do dia

Eles estão à distância

Eles ficarão

Ninguém pode dizer

Eu só posso esperar e rezar

Maio/95


Saudades

by

Tom Wood

DreamMachineThis poem was translated by Carlos Wood
The Dream Machine --- The Imagination of the World Wide Web


Google
Ansiando sentí-la apertada firmemente contra mim

Moldada a meu corpo, como se feita por mãos de artesões

Você é respiração morna que cascateia em minha nuca

Minha inalação do seu intoxicante perfume

Beijando seus lábios gentilmente

Beijando seus olhos fechados

Beijando seus lábios suavemente

Traçando o contorno de seus lábios com minha língua

Beijando-os apaixonadamente

O entrelaçar de línguas gananciosas

Explorando, todas as formas de fazer amor

Roupas descartadas com temerário abandono

Acariciando, sentindo os contornos e as texturas de seu corpo feminino

Temperaturas que sobem como um dia de verão sufocante

Contas de umidade que brilham em sua pele delicada como pérolas

Paixões inflamadas, como se feitas por foles de ferreiros

Sons de amantes, emudecidos e macios, como só eles conhecem

A apaixonada e a mais doce das estimas

Ternura que transborda de um coração cheio de amor

O ritmo que sobe como uma orquestra furiosa

Urgência pulsando

Coração que corre como um garanhão galopante

Êxtase, a inundação de uma torrente furiosa, plena liberdade montesa

Abraçando e acariciando, suavemente como os amantes fazem

Estirados lado a lado

Unindos com o morteiro de amor

A doçura depois do brilho, como uma fogueira de acampamento minguando em uma véspera de verão,

Braços entrelaçaram como Heras em uma parede

Flutuando, balançando para dormir suavemente


Sussurros de Uma Conversa

by

Tom Wood

DreamMachineThis poem was translated by Carlos Wood
The Dream Machine --- The Imagination of the World Wide Web


Google
Em um curto encontro um tempo atrás

Um sonho foi compartilhado

Das profundesas do coração

O mais nobre dos pensamentos, guardado como relíquia

Um anseio

Uma esperança ardente

Um sonho foi compartilhado

Um sonho maternal

Cheio de raios de alegria

Com a pureza do amor

Cheio de preciosas reverências

Uma pergunta foi feita por mim

Uma resposta foi dada em tempo

Pensamentos e profundas reflexões

Buscando em tempos passados e oportunidades perdidas

Uma resposta tenho eu

Mas você deve fazer a pergunta, uma vez mais

Porque eu não me imiscuirei em seus sonhos

Mas irei honrar e respeitar


A Fita Branca

by

Tom Wood

DreamMachineThis poem was translated by Carlos Wood
The Dream Machine --- The Imagination of the World Wide Web


Google
Com dedos trêmulos

Eu prendo à minha lapela

Um símbolo

Um pedaço de pano e um alfinete

UMA FITA BRANCA

É com renovada esperança que eu me uno a outros de meu sexo

Com um desejo fervoroso, construir uma ponte infinita e duradoura

Promover amor, compreensão, compaixão, e respeito entre os sexos das seguintes maneiras;

Honrar você como mulher

Honrar e respeitar nossas diferenças

Orar para você encontrar justiça na sua vida

Orar para você encontrar a vida livre de discriminação

Orar para você nunca sofrer qualquer forma de molestamento

Orar para você nunca experimentar qualquer forma de abuso físico

Orar para você nunca experimentar qualquer forma de abuso mental

Orar para você nunca experimentar qualquer forma de abuso sexual

Comprometer-me com você, que como homem usarei minha Fita Branca com orgulho

Comprometer-me com você, nunca esquecer

Comprometer-me com você, a promover diariamente a verdadeira essência da FITA BRANCA

Honrá-la, este e todos os dias, como uma mulher, como um ser humano.

Este poema é dedicado às Quatorze Mulheres inocentes que perderam suas vidas no insensato Massacre de Montreal de 06 de dezembro de 1989.

Também dedico para minha linda filha Trista. Para todas as mulheres que conheci e conhecerei nesta minha jornada da vida. Finalmente para uma mulher muito especial e que é muito querida a mim, que incansavelmente promove os direitos e a igualdade das Mulheres.


O Templo

by

Tom Wood

DreamMachineThis poem was translated by Carlos Wood
The Dream Machine --- The Imagination of the World Wide Web


Google
Eu construirei um templo

Um soberbo templo será

Não com suor e a força dos braços

Com os trabalhadores amorosos de minha mente

Não de concreto e ferro

De árvores e flores

Não de vidro e mármore

De pássaros e animais

Não de madeira e pano

De altas montanhas e luxuriantes verdes vales

Não de pregos e tinta

De um corrego suave

Não de ícones ou rituais

De paz e tranqüilidade

Não de quadros e frios linóleos

Do suave e morno soar da brisa da primavera

Não de medo e culpa

Do amanhecer mais espetacular

Não de ouro e incenso

De amor, confiança e anseio

Eu construirei um templo, para aguentar os rigores do tempo,

Eu construirei um templo que será Seu e Meu

Eu construirei um templo onde você e eu podemos Ser

Eu construirei um templo para a eternidade