The Web Poetry Corner
DreamMachineThe Web Poetry Corner is a Dream Machine Site
The Dream Machine --- The Imagination of the World Wide Web
Google

The Web Poetry Corner

Deibby Gottschalk Petzinger

of

Canela, Brazil

Home Authors Alphabetically Authors Date Submitted Authors Country Submission Rules Feedback



If you have comments or suggestions for Deibby Gottschalk Petzinger, you can contact this author at:
deibbypetzinger@bol.com.br (Deibby Gottschalk Petzinger)


Find a book store near you, no matter where you are located in the U.S.A.!


Cerzan

...the best independent ISP in the Twin Cities

Gypsy's Photo Gallery

RonPaul for President


Raibow

by

Deibby Gottschalk Petzinger

Eu queria te dizer palavras doces hoje,
queria que estivesse disposta a me ouvir,
e quem sabe você está;
Eu acho que eu, é que não estou disposta...
Eu queria, em um pequeno intervalo de tempo,
te dizer o quanto és importante pra mim
e por quantas noites que eu, sem dormir,
ficava agradecendo às estrelas por te ter ao meu lado.
Não simplesmente por ter me confiado,
sua amizade, sua vida,
por seres incrível, mulher/menina.
Por fazeres do meu dia, um sorriso,
e da minha vida, um sonho...
Queria também, voltar atrás
pedir ao tempo, uma trégua
um gole d’água
Pra não ter que engolir a seco,
minha breve falta de memória...
E não porque minha consciência,
(que agora pesa)
mas por meu coração,que agora desaba.
Queria que você lembrasse dos nossos momentos alegres,
que me perdoasse pelos meus ataques de choro,
nos quais você apenas me ofereceu um abraço;
Que era tudo o que eu precisava,
pra me sentir melhor, pra me sentir amada,
e por me mostrar que as vezes não adiantam palavras,
que os olhos também falam,
que pessoas também falham...
Que a vida é um mistério...
E que nada,
também é alguma coisa.
E que nossas vidas são importantes,
por isso mesmo devemos aproveitá-la;
Você me ensinou um caminho,
Fez com que eu trabalhasse minhas idéias,
meus sentimentos...
Que eu fosse melhor,
não somente para escolher,
mas também para seguir.
E eu aprendi que você foi o pote de ouro,
Que encontrei no final de um arco-íris...


Piano

by

Deibby Gottschalk Petzinger

Hoje vou morrer...
Não de tristeza, mas de passagem
apagar em segundos,
renascer em um novo mundo;
São tantas idéias , inspirações
lembranças...
Vou me perder entre papéis,
brincar de esconde-esconde com as idéias,
e deixar de amar pessoas incomuns
"- O mundo está cheio delas"
e eu, também,
alguém cujo sorriso
apresenta uma 3ª má intenção imbutida
e cuja vida, é um desastre.
Hoje vou correr entre as flores,
sentir o gosto doce da aurora,
correr para água...
Pintar um arco-íris,
deixar que o mundo gire
como a muito tempo não fazia.
Aprendi com a paciência,
que não existe tão bela inocência
como a nossa;
Somos capazes de fabricar um mundo
quando amamos alguém,
e tudo é bom, e tudo é tão rápido,
E tudo isso não passa de nada...
Nada além de você , e sua pobre ilusão.
Seu coração e corpo fechados
com a chave perdida no meio da bagunça,
da bagunça do seu quarto...
Te amei como um bicho
encomendei minha morte sem saber
e se, as palavras não existem mais,
se elas fogem,
foi porque você as deixou escapar,
por uma janela de fogo.
Te quero longe, amigo
longe de mim , longe da minha inútil existência
Hoje vou brincar na chuva
sentir a água escorrer entre os dedos,
assim como senti minha vida...
E, em relação as despedidas,
Nada além de curvas
difíceis de contornar
como o nome a dar
A essa inútil poesia.

Vou te machucar

by

Deibby Gottschalk Petzinger

Todo o dia, eu tento não lembrar
Como foi que desabei
Lembrar de você, talvez
É inevitável que eu esqueça
Da enrascada que você me colocou.

E pode ser que amanheça
E eu atire você contra mim,
Vou te machucar
Como você me fez...
Mas não vou te ver triste,
Com aquela cara de quem tem a resposta
E nada fala, só para fingir que está bem,
Que você é forte, eu sei,
Aliás, qualquer um pode ser
É só uma questão de tempo
Para perceber que momento,
Não é nada
Exatamente por isso que,
Eu vou te machucar
Como você me fez...

Não vou perguntar de ti
Não quero saber se você está bem.
Pois eu sei que você não sente muito
Que tudo isso é absurdo
Mas você vai sentir frio ao lembrar de mim
E isso vai ser tão louco como sempre foi
Porque hoje não vou ler seus poemas,
Desta vez não vou voltar
Nem vou jogar pedacinhos de biscoito no caminho
Pra você Ter a chance de me encontrar...

Suas músicas agora são deprimentes,
Como seu estado de espírito
E, seus batimentos cardíacos
Falham, como suas atitudes insensatas
Isso é pra aprender que a vida é sua
Que a vida é uma escola
Fantástica.

Validade

by

Deibby Gottschalk Petzinger

Tantas vezes reclamei
Desejei, coisas novas
E não percebi que minha infelicidade
Era contagiosa
E tão menos valiosa
Por afastar de mim
Todas as razões do meu viver.
Talvez eu tenha feito sem querer
Mas fiz, sabendo que ia me arrepender,
Como me sinto feliz
Por ter novamente um sorriso, um coração
Poder sentar ao seu lado
E rir de tuas falhas,
Me encantar por tuas palavras
E receber a luz, que você emana.
E querer ser como você
quando crescer
Ser ranzinza ,
Com pitadas de alegria
Quem sabe até plantar flores,
eu sei que você gosta
E não fazer perguntas indiscretas
Pois você nunca dá resposta.
E também não me imaginar longe
De chegar tão fiel as suas glórias
Aquelas vitórias
Que você insiste em me contar
Eu não quero você distante
Quero aprender mais contigo
E por mais que você tenha sofrido
tanto...
Eu te admiro,
Por seres esta criatura fantástica,
Movida por "táticas"
de atrair felicidade e contentamento
Por termos tudo e ao mesmo tempo nada.
E não me importo em saber,
Que você não é tão forte quanto se parece
você esclarece,
As dúvidas que me perseguem
E me mantém livre,
Dentro de uma gaiola de sofrimento.
E eu ainda vou te ver completa
mais feliz do que aparenta
Nem que pra isso eu tenha
que te dedicar tudo o que eu faço,
E até os últimos minutos da minha vida.
E quando você for embora
Para o lugar , onde todos por ironia
acabam se encontrando,
Eu vou em sentar na mesa
Pra ouvir você me xingando
me mandando por os chinelos,
porque sempre fico doente quando descalça.
Vou ser resistente a qualquer ameaça
E achar graça,
Quando assisto a hipocrisia dos outros.
Tenho que terminar o que você começou
Colher as flores que você plantou
Naquele jardim eterno
E quando chegar minha hora
Eu seguirei feliz, sem olhar pra trás
Levarei na minha mala
Tudo o que me você me ensinou
E na alma, minha eterna paz

Amor materno, dedicado à Gessi Gottschalk Petzinger

Good Fellow

by

Deibby Gottschalk Petzinger


Eu só queria ter você
Em seus traços perfeitos
Como te vejo em meus sonhos,
Quero que entendas que tenho defeitos
Como qualquer ser de carne e osso.
Por favor, não me impeça de ser feliz
Não somente enquanto durmo
Não somente hoje,
Mas amanhã e sempre.
Então venha, preencha minha memória
Com promessas absurdas de amor,
Com esperanças vãs de ausência,
De ciúmes sem dor
De saudades sem carência.
É tudo tão simples,
Tudo tão fácil
Você já esteve ao meu lado
Você me conhece,
Mais do que eu mesma.
Então leia meus olhos
Desenhe meus lábios
E me ame, se for necessário.
Descubra o caminho das almas ,
E recupere todas as minhas evidências
Me faças perguntas violentas
Me arrasta para junto de você.
E não tenha medo de me convencer
Que amores não são passageiros
Que o seu amor é verdadeiro
E que, ao meu lado ele irá padecer.
Siga meus passos errantes
E muitas vezes provocantes
Venha, faça da minha vida um sonho
Daqueles que a gente reza pra não acordar
E não me diga palavras doces agora
Dotadas de magia,
Me beije....Simplesmente
Como sempre
Me olhe como se fosse a última vez
Para que você não tenha chance de esquecer
Que eu consigo invadir seu pensamento
Sem ao menos antes te conhecer.

Caso frio

by

Deibby Gottschalk Petzinger

Repentinamente
Pálpebras se fecharam
Respiração ofegante
Idéias espalhadas num quarto
Como se eu separasse
Roupas limpas das roupas sujas,
Simultaneamente com meus pensamentos
Tormento contra responsabilidade
Vontade,
De mudar o método de vida.
E se, não for pedir demais,
Não cometer os mesmos erros
Nenhum exagero
Apenas, almejar o impossível
Porque o possível já era,
Caso totalmente encerrado
No calendário, a primavera
Flores, folhas e música
Poetas apaixonados
E o passado...Nem se fala
Hora de chegada
Sem atrasos , sem desculpas esfarrapadas
Não aceito despedidas
Aqui, elas não valem nada,
Porque eu não sofro de amor
Não sinto dor
E o que era inesquecível
Já penso em esquecer
E se for imprevisível
Eu pago pra ver.
Jogo de cartas,
Fogo de palha,
Um pra cada lado
Iguais a razão e coração
Juntos não tem lógica
Como pra mim,
Que já perdi os dois
E se,
Filmes passarem novamente na minha cabeça
Tão rápido quanto os ponteiros do relógio
E irei sorrir com a alegria de quem vive
Pois eu sei que a sensação será passageira
Semelhante aos amores que tive.

Confidencial

by

Deibby Gottschalk Petzinger

Eu deveria encarar como elogio
Suas palavras embriagadas
Sentir o vazio da sua alma
Aquecida pelo ódio momentâneo
E, eu não sei o que você pensa
Quando me fere com seus olhares
Seguidos de atitudes sarcásticas
Por te preocupares em seguir
Teu caminho sombrio
Por uma floresta mal assombrada.
E eu poderia te perguntar
Até quando você suportaria
O sol, que por instantes te cega,
Só te ouvir dizer que o caminho é feito de pedras
E não de nuvens, como eu sempre acreditei
Pois eu imaginava o céu tão próximo
E você me impediu de ver o sol nascer.
Você me emprestou sua desconfiança
Disse que um dia eu poderia precisar,
Você viu minhas mãos atadas
E nada fez, pra me resgatar.
E, eu poderia passar dias escrevendo
Sobre você, sobre o quanto me decepcionou
Sobre o silêncio que penumbra em teus gestos
Que me tortura como prisioneira
De uma guerra, em busca do nada,
Nós não estamos em fase de disputa,
Tínhamos uma amizade compartilhada
Entre risos, abraços e mãos estendidas
Palavras certas em dias de chuva
E me machuca saber que
Você confundiu as circunstâncias,
Fomos vítimas de um drama vendido
E um alto preço devemos pagar
Por deixamos escapar a felicidade prometida,
Por deixarmos de sorrir,
Por deixarmos de sonhar...

Depoimento

by

Deibby Gottschalk Petzinger


Preciso de música para escrever
Cada nota, uma palavra
Cada palavra, uma injúria
Ou uma jura, de amor, quem sabe
E nem eu entendo porque escrevo tanto
Não só quando me sinto triste
Não só quando estou contente
Indignada ou apaixonada;
É bom desabafar com as palavras
Contar meus segredos
Meus medos...
E a melhor parte da história
É que não preciso ficar repetindo
Elas concordas comigo
E não me abandonam, ao contrário de tudo.
E quem sabe seja a única coisa que tenho
Palavras...
Confirmo Ter uma boa relação com elas
E por simples que sejam
É o que posso lhes oferecer
Apenas palavras,
Espelham meu ser
Minha vontade de viver,
Sem ser questionada/aprovada
Não preciso de aprovação
E de um coração, o meu já basta
Não é puro mais é forte
Suporta quase tudo
Com exceção da morte
A só terei ela (a morte)
Quando me impedirem de conversar com minhas palavras
Minha respiração depende delas,
E só por elas eu seria capaz de implorar,
De voltar atrás...
Não quero escrever o que sinto
E seria até egoísmo,
Vou escrever o que vejo,
Vou escrever seu desejo
Por mais louco que ele seja.
Apenas palavras...
Nelas minha vida se resume
Confusas ou não
Com, ou sem inspiração
Capítulos de um filme "baseado em fatos reais"
- amigos leais
- dias infernais
O que quiseres saber sobre mim
Está aqui, no que está lendo
E talvez não faça sentido
Talvez você não entenda
Aliás, não é tão simples assim decifrá-las
Apenas uma questão de momento,
Algo semelhante a conhecer uma pessoa
E são poucas pessoas que em conhecem por esse lado
Algumas compreendem
Outras acham errado
E quanto à isso, sinceramente
Não posso fazer nada,
Apenas, cada nota uma palavra
Momento oculto de vida
Caminho difícil para os normais
Posto que o caminho de todos os seres
É composto por palavras
Simples palavras....
As vezes sem sentido
As vezes tudo,
As vezes nada...

Em Absoluto

by

Deibby Gottschalk Petzinger

Queria eu , lembrar das tuas formas
E o som da sua voz,
Que estremece minhas pernas
Se optou seguir teu caminho,
Eu te perdôo
Por fazer com que eu te ame
Eternamente...
Teu sorriso ainda me prende
Se estende, entre estrelas cadentes
E meu desejo
Mais do que inconsciente
Fazes de ti, o homem,
Único, dentre tantos seres humildes.
Partiste...Nada de despedidas
Eu continuaria da mesma maneira
Buscando a ti, no meio das flores
Elas tem o teu cheiro,
Mas não tem o teu gosto
Que sacio como algo impossível
Por que realmente é impossível
Porque fostes quem amei...
Sem pedir nada em troca
Nem um aperto de mão,
Nem um beijo na boca.
Eu te sinto tão distante
Como os sonhos,
Mas também não te quero por perto
Por que não posso lhe dar nada
Além do meu amor inútil
E, com ar de piedade
Eu imploraria por vida,
Pela minha alma perdida
Sem pitadas de amizade.
Amo-te como a música,
Como a primavera
Clamo por ternura,
E por liberdade
Entre as folhas de um papel amassado
E uma caneta, quase sem tinta.
E chamo o teu nome...
Não quero que em mintas
Se tua face hoje é de outra
Se os teus olhos doces,
Quase como o céu que almejo
Pertence a sua nova menina.
Procurei em outros
O que, por ironia não tive de ti,
Preciso de carne como os animais
E teu corpo , jamais...
Jamais vou senti-lo como antes.

Aos invasores de almas perdidas...

by

Deibby Gottschalk Petzinger

Se a vida é um caminho, não sei...
Se me disserem que existe destino
Que aqui, somos apenas peregrinos
Sinceramente, eu não acredito.
Aprendemos a viver de forma errante
Na luta pela sobrevivência,
Na selva urbana
Com mensagens de amor,
E palavras desumanas.
Crescemos correndo contra o tempo,
Como folhas, ao vento
E o relógio, nosso inimigo
Que nos transforma em primitivos
Desesperados...
Não apenas em busca de vida
Mas em busca de adversários.
Pra ver quem ganha mais
Quem realmente pode trazer a paz,
E libertar de uma vez o mundo,
Pra ver que no fundo,
Não querem libertar nada,
Não libertam-se de si mesmos.
E que querem cada vez mais dinheiro,
Pra vender nossos sentimentos
Na verdade, os poucos que nos restam
E é isso que sobra...
Querem carros, roupas novas
Por que aparência conta mais do que as palavras
E inclusive,
É a primeira que fica.
O melhor é quem tem mais
Independente da luta,
Pobre dos outros, que ficam pra trás
Esperando a chance da disputa.
Mas o show não pode parar
Ainda não é hora para aplausos
Para que os "bons" possam se divertir
Chamando os ingênuos de otários;
Dignos de pena, ignorantes,
Pobres seres repugnantes
Pobres de nós...
Se a vida é um caminho, não sei...
Se me disserem que existe destino, talvez...
Mas se isso realmente for destino,
Realmente, pobres de nós,
Que passamos uma vida toda tentando
Provar inocência, e lamentando
As vezes sonhando até salvar a humanidade
Vivendo de forma humilhante
E quando chegarmos as 80 anos de idade,
Sermos condenados como ignorantes.

Herói de Brinquedo

by

Deibby Gottschalk Petzinger

Te acho fraco,
E sem personalidade
Teus olhos redondos
Com cor de piedade
Escondem um menino triste,
Com pena de si

Pobre desse herói,
Que trilha um caminho amargo
Por que ele mesmo quis assim...

Bonito, forte
Ele precisa estar sempre em forma
Pra que no seu pobre julgamento
Ele seja o melhor.
Escreve, canta
Pinta e borda

Pobre desse herói,
Esse herói que não sabe de nada...

E no seu mundo colorido
Ele conta que pode voar
Mas não tira os pés do chão

Pobre desse herói,
Ele não sabe sonhar...

Ele dorme acordado
Pra não ter pesadelos
E diz estar sempre ocupado
Se diz um nobre guerreiro

Pobre desse herói,
Esse herói de brinquedo

E, ele anda com o peito estufado
Tropeçando nos próprios passos
E se demostra despreocupado
Mesmo entrando em devaneio

Pobre desse herói,
Esse herói de brinquedo

Que se esconde atrás de palavras
Que acredita nas próprias mentiras
Que cultua suas idéias frustadas
Perdendo o amor pela própria vida.

Quantos heróis de brinquedo você conhece?

A tese

by

Deibby Gottschalk Petzinger

Existem provas, que condenam
Cada ser, em seu estado
Volúveis e imortais,
É pena de morte, aos apaixonados.

O amor me humilha e me confunde,
O amor esteve em mim o tempo inteiro
Antes que eu pudesse evitar,
Antes que eu pude...

E, sinto medo de perdê-lo
Antes mesmo de tê-lo,
Por saber que ele é tudo o que há,
No verbo ser, no verbo estar.

O amor me encanta e se difunde
O meu amor me assusta, me agride,
Pois faz perguntas sem respostas
E quer estar perto, quando deve estar longe...

Ele condensa meu corpo morto e gélido
Ressuscita meus princípios,
Meus sentimentos , meus méritos
Revive em cada parte do corpo, da alma ao cérebro.

O amor me prende e me fascina
Por se resumir em palavras (complicadas)
Por ser música e poesia,
Com estrofes, sem rimas ...

Por ser amor eterno, impróprio
O meu amor pela vida...

Empecer

by

Deibby Gottschalk Petzinger

Uma noite, ouvi alguém dizer
Que gostaria de ser uma estrela
Quando morresse ...
Quando por ventura, ninguém sentisse
Sua triste ausência...

O ar inteligente do destino
Te fez virar inimigo,
Meu amigo! Não chore,
Pois você merece o castigo.

O céu é como a vida
Um dia chove,
No outro o sol radia
E, se você se sente estúpido
Eu te vejo sem saída...

E não basta apenas saudade
Ser uma alma vazia,
Cambaleando pela cidade
Mendigando amor, em qualquer esquina.

Você não entende...
Você não aprende...
Então, porquê me vigia?

Processo coexistente

by

Deibby Gottschalk Petzinger

Não me importo em ser como sou
Aliás, foi assim que sobrevivi até ontem
A vida, em si me ensinou
Um caminho difícil e árduo.

Me sinto como ré primária
Condenada pelo delito de viver, simplesmente
Não tenho defesa, nem tática alguma
Me sinto inútil e ausente

Os olhares são como flechas
Me atingem as pálpebras
Ferem minhas lágrimas,
Meu peito reclama, por hora se acalma.

A alma sussurra ...
pede para que eu tenha calma,
Meu súbito desejo de felicidade
Escapa, pelas mãos calejadas.

O mistério acompanha meus passos agora
Por obrigação, silêncio casou com a dor
Me pedem clemência,
Fazem com que eu jure nunca morrer de amor.

Minha língua enrola
Espasmos, ataques, gestos violentos
Quem nunca passou por isso?
Quem nunca morreu em algum momento?

Insistir na hipocrisia que fere
Pessoas que não medem, palavras
Para falarem sobre a infelicidade
Sobre a horrenda filosofia que vivem.

E, que Deus me perdoe
Por querer fugir do lugar onde existo
Por querer ser um pássaro as vezes,
Para voar por lugares que invento.

Que nas estrelas haja um lugar seco e aquecido
Onde em segundos, eu possa me transportar
Pra que minha consciência limpa e muda
Me ensine, um dia, a perdoar...

Elo

by

Deibby Gottschalk Petzinger

O mundo em sentido ordenado
O desespero na forma real
O conto de fadas do ser complicado
Do monstro homem, o ser "racional"...

Estamos longe da perfeição
Por que nada em si pode ser,
Semeamos vida, colhemos morte
Sentados à espera de redenção.

E em trilhas de pedras, perdemos a magia dos seres
Que Deus criou , mediante tal harmonia.
Infelizes somos, por perdemos a melodia,
Dançando em cima da arquitetura mal planejada.

A alma se foi...os sonhos também...
Resta apenas a trágica razão de viver,
No império de hipocrisia que criamos
Sem florescer e sem aprender.

Pobres! As criaturas esperançosas
Que sorriem, na face do perigo
Que em seu coração semeiam flores
Mesmo com o corpo fervendo em delírio.

E se lágrimas de sangue,
Forem provas do amor desencarnado
O arrependimento está muito longe
De ser a chave de salvação, para um céu iluminado...

Elo

by

Deibby Gottschalk Petzinger

O mundo em sentido ordenado
O desespero na forma real
O conto de fadas do ser complicado
Do monstro homem, o ser "racional"...

Estamos longe da perfeição
Por que nada em si pode ser,
Semeamos vida, colhemos morte
Sentados à espera de redenção.

E em trilhas de pedras, perdemos a magia dos seres
Que Deus criou , mediante tal harmonia.
Infelizes somos, por perdemos a melodia,
Dançando em cima da arquitetura mal planejada.

A alma se foi...os sonhos também...
Resta apenas a trágica razão de viver,
No império de hipocrisia que criamos
Sem florescer e sem aprender.

Pobres! As criaturas esperançosas
Que sorriem, na face do perigo
Que em seu coração semeiam flores
Mesmo com o corpo fervendo em delírio.

E se lágrimas de sangue,
Forem provas do amor desencarnado
O arrependimento está muito longe
De ser a chave de salvação, para um céu iluminado...

Procura-se

by

Deibby Gottschalk Petzinger

Procura-se uma alma...
Desprovida de amargura
E cuja face eterna seja
Tão pura, quanto um sorriso de infância.

Procura-se uma lembrança...
De uma vida passada
Que seja um amor de sempre, ou um amor de nada
Que seja solitária como a vida
Como a triste madrugada.

Procura-se uma gesto, uma saída
Que aprove meus passos e recaídas
Que cresça e morra em mim
E que aos poucos se transforme em vida

Procura-se algo....
Semelhante às idéias perdidas
Que sirvam de iscas, para o esperado
Que sejam o início, de um novo dia

Procura-se um caminho...
Onde flores sejam o tapete infinito
Onde almas dancem como crianças
E o amor, seja o início de tudo.

Quando for a hora

by

Deibby Gottschalk Petzinger

Já lhe falei sobre o amor,
Mas , meu caro! Não posso mais
Meu corpo cansou...
Tanto quanto as idéias estúpidas
Das quais tentei lhe convencer.
Se você não aceita a nossa realidade
Nada mais posso fazer.
A não ser fechar os olhos,
E ver sua alma perecer...Sem deixar vestígios.
E nada mais desejar
Senão flores no seu túmulo,
Quando partires para outro mundo
E nem um sorriso de tristeza me deixar.
Permita que eu lhe tire deste caminho atormentado,
E te leve para o lugar encantado
Aonde agora estou, aonde consegui chegar.
Deixa eu te desejar coisas boas
Como faço com as pessoas que amo,
E na minha oração, você terá um lugar.
Não me tires a figura sensata que encontrei em ti
Pois eu vejo ela ir embora,
Sem ao menos se despedir
Aliás, o que queres que eu faça aqui?
Se eu ainda não posso te mostrar
O quanto eu aprendi ,mesmo na tua ausência
Mesmo escondida , na tua lembrança?
E eu prometo que te perdôo
Por teres me privado da felicidade, com as tuas palavras
Minhas idéias exatas,
Que você fez questão de frustar...
Mas, não ria de mim,
Por favor, não agora
Deixa eu ficar com um pedacinho de ti
Pra quando mais tarde, o sol se por
E você tiver que ir embora.

Por inteiro

by

Deibby Gottschalk Petzinger

Perdão Deus,
Por ter me esquecido de viver a muito tempo,
Pois eu sei o que é andar descalça na chuva
E sentir, que os espinhos doem menos
Do que palavras...
Perdão pela desgraça,
De ser o lado impuro sob teus olhos
E por querer ser como o céu,
Só para me sentir azul.
E pelo pecado de desejar algo,
Que ainda não sei...
E por ser livre, sem merecer.
Perdão pelo mundo , pelas minhas idéias coloridas
E pelas despedidas, sem ao menos ter vontade.
Por dar adeus a coisas bobas,
Para hoje abraçar minha infelicidade...
E pela ingratidão que um dia tive
Por falta de oportunidade.
E por várias noites ficar sem sono,
Para derramar lágrimas de felicidade...
Perdão pela graça de ser só metade
Mesmo na presença daquilo que sonhei,
Por toda forma de vida, que agora me invade
Por todos aqueles a quem não amei...

Nada além...

by

Deibby Gottschalk Petzinger

Para que viemos?
Ainda não descobrimos...
Só sabemos que somos um fruto de plenitude e discórdia
O fantasma da memória, ou talvez um absurdo.

Somos a prova viva,
De que amor e ódio não se distinguem
Amamos o que temos, o que não temos e até mesmo o que não vemos
Hora somos flores, hora somos folhas
Ambas regadas pelo mesmo sentimento...
Nossa voz é infame
Assim como a nossa sombra,
Que se arrasta para permitir que ainda vivamos
Não somente neste mundo (incapaz de fabricar sonhos)
Mas no carrossel de utopias ( o lugar que criamos)...
Semelhantes aos monstros, continuamos a ser belos,
Por que o vai e vem de nossas idéias
Continuam a nos dizer que ainda somos humanos
Um pouco diferentes
Talvez pela forma abstrata de revelar um segredo
Talvez por medo, de aceitar o que somos...
E se nos julgam complicados,
Nós somos sim, os seres encantados
Que Deus criou pensando unicamente
Em espalhar lágrimas nos quatro cantos.
Mas ao mesmo tempo não passamos de um nada,
Um ponto de interrogação cercado por muitas vírgulas
Somos vítimas do tempo, que nos fez metade animal e metade dor
Somados a um amor, a um amor desmedido...
Somos poetas...
E isso nos transforma em palavras contraditórias
Fonte de vida, figuras sem forma
Quando neste mundo em preto e branco
Parecer não restar mais nada...

Entretanto

by

Deibby Gottschalk Petzinger

Certas coisas como você ,
Me tiram do sério
Seu olhar as vezes tão distante
Desconcertante e arrogante
Que me induz ao poucos , a te admirar em segredo
Com a sua sombra de mistérios
Que me persegue a noite toda.
Pois você me implora algo com os olhos,
E qualquer gesto mais ousado
Me levaria a crer
Que poderíamos ir longe demais...
E o tempo iria parar,
Para ver o indício de sermos ainda incompletos
Porque faltamos um ao outro,
Só que ainda não descobrimos.

E quando for mais tarde,
Lembraremos dos sorrisos...
Os poucos, que trocamos, sem nenhum motivo
E nosso pensamento, certamente mudaria
Pois o mundo é injusto, (mais ainda gira)
E nada mais, nada mais, seria tão admissível
Quanto um breve insulto a nós mesmos,
Pois perdemos tempo com atrasos violentos
Ao invés de falar o que realmente sentimos.
Pois ser livre, as vezes não é o bastante
Precisa-se de uma encarnação mútua, em corpos distantes
E provar a si mesmo , que não existem palavras cegas
Que possa distinguir esse amor... diferente.

Entretanto

by

Deibby Gottschalk Petzinger

Olhe ao redor,
Sinta os detalhes sórdidos implorando por inocência,
Que venha então a paciência
Que acalenta este sorriso incapaz de estender-se de um lado a outro
E também o vulto da beleza em si envolvida
Ou a essência primordial que desaparece em segundos.
O mundo impotente criado nestas frases e linhas
Talvez a fuga destes pensamentos insanos, confundidos com rimas
Um desfecho de ódio, vestindo a própria fantasia
Ou o esconderijo secreto da felicidade
Até então despercebida...
Seguros seriam os passos, senão as dúvidas que atormentam
E o receio de estar pisando em falso, como a própria vida.
Ser fiel, dos princípios às lições recolhidas
E num piscar de olhos perder-se em toda esta magia
Essa poesia, na medida desses sonhos e medos
E frases acolhedoras, ainda não ditas....

Entropia

by

Deibby Gottschalk Petzinger

Olhe ao redor,
Sinta os detalhes sórdidos implorando por inocência,
Que venha então a paciência
Que acalenta este sorriso incapaz de estender-se de um lado a outro
E também o vulto da beleza em si envolvida
Ou a essência primordial que desaparece em segundos.
O mundo impotente criado nestas frases e linhas
Talvez a fuga destes pensamentos insanos, confundidos com rimas
Um desfecho de ódio, vestindo a própria fantasia
Ou o esconderijo secreto da felicidade
Até então despercebida...
Seguros seriam os passos, senão as dúvidas que atormentam
E o receio de estar pisando em falso, como a própria vida.
Ser fiel, dos princípios às lições recolhidas
E num piscar de olhos perder-se em toda esta magia
Essa poesia, na medida desses sonhos e medos
E frases acolhedoras, ainda não ditas....

X Y Z

by

Deibby Gottschalk Petzinger

Me sinto mais pura agora
Depois que você, e suas fraquezas passaram
E talvez seja difícil estar aqui, imóvel
Pois você repara que certas coisas não são para sempre
E que outras, ao contrário, vão embora.
De que adiantam as palavras e a sabedoria recolhida?
Se em 20 anos, tudo o que sei esteve em mim e a história é a mesma.
A nada serei tão grata quanto ao tempo que me ensinou a viver,
E a morrer e nascer quando fosse necessário
Pois só eu sei o quanto preciso disso,
Só eu sei o quanto é necessário...
Prometo que hoje, não irei me render à simples tristeza
Que por tempos habitou em mim, sem ser convidada.

Eu preciso ser mais sentimental,
E me livrar de certas coisas
Desejar a beleza suprema,
Mesmo que acabada
Minhas mãos são pequenas demais pra tanto ódio,
Por isso o rancor se despede, dentro da noite, enluarada....
Os olhos estão úmidos, e a dor surge tal como as lembranças
Que foram poucas e frias
Nuas e cruas,
E cuja tortura...Não cessa.

Eu preciso ser mais sentimental
E me livrar de certas coisas
Perceber que existe vida, lá fora
Mesmo que em mim, todas as forças se anulem
E que o tempo me obrigue, a agonizar por tua espera.

Pobre Mulher Maravilhosa

by

Deibby Gottschalk Petzinger

Como poderei viver se tua ausência me persegue?
Como poderei sorrir , se a estupidez toma minhas formas e encarna meu rosto?
Eu sinto tanto medo de partir,
E te deixar feliz
Pois o mundo seria incapaz de te conceder meus pensamentos doces.
Mas em outro caso, eu rezo..
E peço a Deus que você nunca me abandone,
Pois o teu adeus seria minha morte, sem nenhum prestígio.
Em teus olhos azuis eu vejo o mundo... Tão bonito
O mundo que sonhei, antes de por meus pés neste universo
Mesmo antes de entender tuas palavras e teus vícios
Teus vícios perdidos e perversos.
Ah! Quanta dor me invade quando lembro da tua tristeza
Penso quanta injustiça fizeram contigo, pobre mulher maravilhosa
E quanta frieza , fez de ti o ser mais iluminado
Que eu admiro a tolerância e por tudo o que há de mais sagrado
Mas até quanto ei de angustiar os teus passos?
E teus planos, frustados
Eu preciso fazer parte deles
Antes que meu rumo seja tomado,
Pela culpa de não enxergar a solidão nos teus olhos
Mesmo estando, o tempo todo ao seu lado.

Às 5:00

by

Deibby Gottschalk Petzinger

Eu quero que nasça em mim todo sentimento até então desfeito.
Que o amor me siga junto a brisa dos desesperados,
Em meio a noite e o frio que agora me fazem existir
Na terra da bem-aventurança e dos apaixonados.
Gosto de você por que teu cheiro me enlouquece
Me faz sentir viva , desconsolada, enquanto a tempestade me enfraquece.
Porque quando o vento me toca o rosto,
Eu sinto que presença é como qualquer bom pensamento
À sua altura eu nunca estarei, por que és puro quando me olha nos olhos...
Eu estive tão perdida até cruzares o meu caminho,
Estive tão dividida entre a inocência e o que há de perverso
Mas quando a tua sombra tornou-se luz, a alegria congelou-se
E eu senti que estava pronta para morrer ao seu lado.
Eu percebi que de lá pra cá tudo anda tão engraçado
Talvez porque dentro de mim, esteja tudo modificado
E por mais que nunca acredite estar fazendo parte disso
És agora minha inspiração, és parte do meu sonho, inacabado...

In Memorian

by

Deibby Gottschalk Petzinger

Amigo! Onde estarás agora?
Pouco tempo tive para lhe falar sobre a vida
Mas lembro-me do teu sorriso e da tua alegria
Que ainda contagia, quem feliz ao seu lado esteve
Onde estarão agora?
Aqueles olhos grandes, sempre prontos para ver um sor se pôr
E falar de amor e sorrir e se fazer existir simplesmente?
Na harmonia da voz e dos gestos indecentes
Que espalhavam pelo ar toda beleza
De encontrar em ti a suprema bondade.
Amigo! Como dói em mim não te ter agora,
Ter te faltado um abraço meu abraço meu , antes de ir embora
Partiste como um guerreiro pois em ti jaz a vitória
Mas deixaste conosco um vazio tão grande
E uma saudade que apavora.
E agora amigo! Chove tanto lá fora...
Talvez lágrimas, talvez tristeza, quem sabe o teu descanso,
Mas jamais o teu esquecimento,
Tua presença é como luz, para quem aos prantos chora.
Fizeste a vontade de Deus mas também a injustiça dos homens
Quem lhe tirou a vida tirou de nós o nosso modelo,
O nosso eterno companheiro...
E a tristeza que fica, torna-se maior a cada minuto que passa
Em cada palavra engasgada,
A cada lembrança, despedaçada.
Mas esteja onde estiver, olhe por nós,
Supre-nos a tua falta
Pois a tua ausência, faz com que o sentido da vida se perca
Eu tenho vontade de te tocar o rosto e dizer que sinto muito,
Mas eu sei que já é tarde,
Que teu corpo dorme, e a alma vai partindo
Em pequenos passos, acenando, seguindo
E você, dentro do tempo,
Como sempre, sorrindo
Desejando-nos boa sorte
Pedindo para que sonhemos contigo.

A arte da despedida

by

Deibby Gottschalk Petzinger

Nunca acreditei no supremo senão a pureza da alma
De tantas fraquezas até hoje sobrevivi por isso me julgo humana,
Falamos tanto em amor mas meus livros nada me ensinaram sobre despedidas
Só me aconselham a sorrir, quando nada mais tenho o que fazer da vida.
Patético é esse amor que vejo brotar em meu sangue
E essa viagem que às vezes ao esquecimento,
Mas bela sempre será a dor de quem pode se sentir livre
De quem pode se sentir vencido e feliz, dentro do tempo.
Apenas o que se sente pode ser compreendido
Dentro do infinito...
Nada pode ser contado ou explicado, somente vivido
Palavras são duras, perdoáveis quando não ditas
Mas uma vez pronunciadas, permanecerão intactas no pensamento.
Eu deveria estar falando em destino, para obter perdão pelos meus erros
Mas eu sou tão fraca , tão franca a ponto de dar conselhos
Prefiro ficar calada, observando o medo me aprisionar sem glória,
Me sugando os olhos, a memória e os movimentos.
Então me deixe seguir, eu quero ver até onde chego,
E se me disseres que sou sincera, eu nego
Pois só eu sei sobre meus mais estranhos desejos,
Sobre minhas insignificantes vitórias e meus puros anseios.
Então, se você acha que é certa a hora, me aprisione, me condene
Faça do purgatório o teu julgamento
Mas não esqueça que somente de mim surgirá o perdão,
Que impedirá que a tua boca, beije os lábios do ressentimento.

O amigo do tempo

by

Deibby Gottschalk Petzinger

Sinta,
O ar da divindade penetrando em seus pulmões
Fique aí... Onde está
Sentado em qualquer lugar
Esperando um horizonte tranqüilo, ou a morte chegar
Espere...O quanto for necessário,
Ou quanto puder agüentar
Justo você, que sempre acreditou no acaso,
Que já falou tanto em virtudes, em conquistas e em amores
Que sabe que a liberdade é dada à todos os que sabem usar,
Não para aqueles que sofrem ,
Por não conseguirem desprender-se dos velhos hábitos
Dos vícios da alma e do corpo,
Aqueles que tornam-se vítimas... Dos próprios sonhos.
Cada erro... Um novo passo,
Sem erro, não existe aprendizado.
Coração é como criança: quando chora, a gente embala
Faz dormir e conta histórias,
E quando acorda...
Pedimos pra que seja melhor, a cada dia que passa.
Cada pedaço de mim também precisa dormir às vezes...
Precisa ser embalado, precisa ser recuperado
As mãos, os olhos , aquilo que está no meu alcance,
Ou tudo aquilo que estiver desarrumado .
O amigo do tempo, pode um dia, abrir todas as portas,
Já me fez enxergar a beleza contida nestes gestos e palavras
A dinâmica do incompreensível, do misterioso e do abstrato,
E tudo o mais, que ainda pode ser descoberto.
Dentro de mim, ou fora de si,
No meu caminho impiedoso, negligente e modesto...

Desprover

by

Deibby Gottschalk Petzinger

Choro...Com a pureza inesgotável de uma criança,
Com o desespero impossível de um poeta.
Talvez, minhas lamentações não passem de dramatizações baratas
Inaceitáveis, em tristes histórias.
Nem o real seria capaz de me acordar no susto
Senão a mágoa de não conseguir ver-me no espelho
E erguer os olhos tristes para um céu iluminado
Que suplica humildemente minha atenção.
Ao menos ele... O céu estrelado
Importa-se com pequenas bobagens
Está sempre lá, de prontidão todas as noites
Aguardando pacientemente os desabafos.
Ao menos ele... O pobre céu desocupado
O analista mais indicado aos seres humanos.
Já não me importo com tantas coisas como antigamente
Porque ao longo dos anos,
Aprende-se que é inútil sobreviver preocupando-se consigo mesmo
Não há muito o que fazer senão olhar para trás,
E poder constatar que erros são como professores
Os erros alheios e também os seus erros.
Relatos sem muita importância,
Amores sem confiança,
Todos guardados numa caixa empoeirada
Sem necessidade de ser aberta.
Dela, podem sair lembranças prejudiciais ao ego
Prejudiciais à alma,
Melhor deixar que as situações se repitam
Agora, se tem uma carta na manga
E só cabe à nós, saber como melhor utilizá-la.

Deibby Gottschalk Petzinger